13 de setembro de 2011

Ocaso




Ainda não era noite e, no entanto, já não era dia.
Numa brisa leve e triste, esvoaçou à nossa volta o inexplicável.
Perguntaste:
Vai doer?
E todas as palavras se ajoelharam, mudas.
E as minhas mãos, quebraram-se de inúteis.
Desde esse dia, em cada ocaso, passei a amar mais o silêncio.





17 comentários:

Nova Civilização disse...

Amiga,

muito profundo pois o silêncio nos diz muito mais que julgamos,


beijinhos


Gisele

Lídia Borges disse...

Há palavras que transportam consigo as marcas de uma evidência dolorosa, porventura injusta.
É quando os silêncios chegam profícuos para remendar a luz difusa de um momento conturbado.

É um silêncio feito de mistérios, dúvidas e... revoltas.

Lindo como só tu sabes...

Um beijo

BRANCAMAR disse...

Perante a impotência, apenas o silêncio diz tudo. Basta o olhar, a presença, basta estar...às vezes nem isso...

Como eu compreendi e como me disse tanto, neste momento, o teu sentir...

Vivo um ocaso e nada há mais forte nestes momentos que o silêncio e apenas um leve esvoaçar...

Lindíssimooooooooooo!
Beijos

Andy disse...

Lindo, lindo, lindo!

Beijos

Virgínia do Carmo disse...

Há perguntas que doem tanto.

Beijinho imenso, João

PS: A admiração é TÃO recíproca!

rosa-branca disse...

A alma nunca pergunta se vai doer...quando se manifesta já está dorida. Belo Ocaso. Beijos com carinho

Ana Martins disse...

Fabuloso!

Beijinho,
Ana Martins

Sol no Coração (Lia) disse...

Olá amiga,

ai,como amo o silêncio..

Lindo!

Beijinho de Sol*

Mariazita disse...

Querida amiga
Voltei!
E retomei a rotina habitual.

Acerca destes teus versos eu diia:
"Um poema cheio de poesia", ou
"Um poema muito poético".
Chame-se o que se chamar, é LINDO!

Feliz restinho de semana. Beijinhos

manuela baptista disse...

era crepúsculo
e dói

há respostas que não se devem perguntar


um beijo

manuela

Mar Arável disse...

Sempre belo o seu espaço

porque a poesia

serve para inquietar

Mel de Carvalho disse...

Sabes amiga, é (tantas vezes) no silêncio que se dizem as palavras mais belas - falam os gestos, ainda que na imobilidade dos membros...


Como gosto de te ler, Joãozita.
Beijo daqui, retornada a casa.

Mel

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Querida Amiga,

Esvoaça por aí, nem por acaso, o silêncio das palavras!


Beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Setembro de 2011

Bergilde disse...

Feliz de quem consegue interpretar os rumores que um silêncio profundo pode causar.
Meu abraço,

AC disse...

Há coisas que não se dizem, sentem-se.
Maravilhoso, Maria João!

Beijo :)

Menina Marota disse...

Arrepiei-me! "Li-me" aqui!

Beijo

Dulce AC disse...

É verdade..Maria João, belíssimo de tanto de vida que nos aporta...

Muito grata querida amiga, por aqui agora me deter..
beijinho grande grande