10 de setembro de 2011

Mantém-te firme!


Entre a angústia e a esperança
é tão fácil nos perdermos....

"Alguém me ouviu " - Boss Ac e Mariza para a ENCONTRAR+SE

Não me resta nada, sinto não ter forças para lutar
É como morrer de sede no meio do mar e afogar
Sinto-me isolado com tanta gente à minha volta
Vocês não ouvem o grito da minha revolta
Choro a rir, isto é mais forte do que pensei
Por dentro sou um mendigo que aparenta ser um rei
Não sei do que fujo, a esperança pouca me resta
É triste ser tão novo e já achar que a vida não presta
As pernas tremem, o tempo passa, sinto cansaço
O vento sopra, ao espelho vejo o fracasso
O dia amanhece, algo me diz para ter cuidado
Vagueio sem destino nem sei se estou acordado
O sorriso escasseia, hoje a tristeza é rainha
Não sei se a alma existe mas sei que alguém feriu a minha
Às vezes penso se algum dia serei feliz
Enquanto oiço uma voz dentro de mim que me diz?

Chorei
Mas não sei se alguém me ouviu
E não sei se quem me viu
Sabe a dor que em mim carrego e a angústia que se esconde
Vou ser forte e vou-me erguer
E ter coragem de querer
Não ceder, nem desistir eu prometo

Busquei
Nas palavras o conforto
Dancei no silêncio morto
E o escuro revelou que em mim a Luz se esconde
Vou ser forte e vou-me erguer
E ter coragem de querer
Não ceder, nem desistir eu prometo

Não há dia que não pergunte a Deus porque nasci
Eu não pedi, alguém me diga o que faço aqui
Se dependesse de mim teria ficado onde estava
Onde não pensava, não existia e não chorava
Prisioneiro de mim próprio, o meu pior inimigo
Às vezes penso que passo tempo demais comigo
Olho para os lados, não vejo ninguém para me ajudar
Um ombro para me apoiar, um sorriso para me animar
Quem sou eu? Para onde vou? De onde vim?
Alguém me diga porque me sinto assim
Sinto que a culpa é minha mas não sei bem porquê
Sinto lágrimas nos meus olhos mas ninguém as vê
Estou farto de mim, farto daquilo que sou, farto daquilo que penso
Mostrem-me a saída deste abismo imenso
Pergunto-me se algum dia serei feliz
Enquanto oiço uma voz dentro de mim que me diz?

Chorei
Mas não sei se alguém me ouviu
E não sei se quem me viu
Sabe a dor que em mim carrego e a angústia que se esconde
Vou ser forte e vou-me erguer
E ter coragem de querer
Não ceder, nem desistir eu prometo

Busquei
Nas palavras o conforto
Dancei no silêncio morto
E o escuro revelou que em mim a Luz se esconde
Vou ser forte e vou-me erguer
E ter coragem de querer
Não ceder, nem desistir eu prometo

Tento não me ir abaixo mas não sou de ferro
Quando penso que tudo vai passar
Parece que mais me enterro
Sinto uma nuvem cinzenta que me acompanha onde estiver
E penso para mim mesmo será que Deus me quer
Será a vida apenas uma corrida prá morte
Cada um com a sua sina, cada um com a sua sorte
Não peço muito, não peço mais do que tenho direito
Olho para trás e analiso tudo o que tenho feito
E mesmo quando errei foi a tentar fazer o bem
Não sei o que é o ódio, não desejo mal a ninguém
Vai surgir um raio de luz no meio da porcaria
Porque até um relógio parado está certo duas vezes por dia
Vou-me aguentando
A esperança é a última a morrer
Neste jogo incerto o resultado não posso prever
E quando penso em desistir por me sentir infeliz
Oiço uma voz dentro de mim que me diz
Mantém-te firme.


8 comentários:

Nova Civilização disse...

Amiga,

como sempre deixaste um pouco da minha história....

obrigada,

beijos


Gisele

Lídia Borges disse...

Uma conjugação de ritmos bem distintos no que concerne a estilos musicais, porém iguais no grito, na revelação de um estar inquieto e inseguro tão comum nas sociedades actuais.
No dialogismo dos dois textos sobressai a ideia de esperança que deve presidir em qualquer situação por mais sombria que nos pareça.

Beijinho

L.B.

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Querida Amiga,


Sim, mantenho-me firme!


Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 10 de Setembro de 2011

Bergilde disse...

Creio que são reflexões que antes ou depois cada um alguma vez na vida já se fez ou faz.Gostei também do mix de estilos musicais apresentado no vídeo.
Abraços,

Nilson Barcelli disse...

Gostei do rap e da letra, que é um excelente poema.
Maria João, tem uma boa semana.
Beijos.

Andy disse...

Maria João,
gostei muito da junção de estilos, tem com toda a certeza letras e vozes que transmitem imensa força!
às vezes basta uma música, tal como um sorriso, para mudar para melhor o rumo de um dia!

:-) beijo enorme, amiga!

BRANCAMAR disse...

É sim Maria João, entre a angústia e a esperança é tão fácil perdermo-nos de nós mesmos e mal de quem pensa que sabe tudo e não se perde nunca...e continua a viver a alienação de uma sociedade decadente.

É preciso sermos mesmo fortes e firmes no mundo de hoje para sermos iguais a nós próprios, isto falando no âmbito do espírito
e da psicologia do "eu"...

Passando para um patamar mais concreto, num mundo angustiante sob vários aspectos, este é um grito e ao mesmo tempo um estímulo de esperança, sobretudo para os jovens que têm pela frente tudo o que de mau construímos nestas últimas gerações e lhes deixamos como herança.
Para eles teremos que dizer constantemente:

Mantém-te firme!

E este é um recado que pode querer dizer tantas coisas!

Beijinhos
Branca

manuela baptista disse...

nada é fácil, Maria João

muito menos o que nos perde, ou não


a firmeza para mim é um junco selvagem à beira de um rio, forte e flexível

mas não somos plantas, inspiramo-nos nelas e temos direito à tristeza e a exorcisar a dor, na letra de uma canção

e o rio continuará a correr


um beijo

manuela