25 de setembro de 2011

Amo-te!




Amo-te!
Amarei todas as folhas onde os teus olhos repousem.
Ignorarei a chegada do vento onde se aninham  os invernos e, quando te parecer que a natureza te abandonou, encontrarás no meu coração o contorno dos meus lábios.
Saberás então, que há palavras que nunca são inúteis.




14 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Querida Maria João,

A inutilidade das palavras é um contra-senso como chave que nos tiram da mão!

Beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Setembro de 2011

AC disse...

Palavras que são porto de abrigo...
Belo e reconfortante, Maria João!

Beijo :)

Lídia Borges disse...

As palavras acarinham com mãos de veludo sempre que o amor faz ninho num coração.
Não resisto a evocar Alexandre O'Neill:
"Há palavras que nos beijam como se tivessem boca".

Um beijo

Lídia

antonio ganhão disse...

E no entanto existem palavras que se perdem, que precisam do contacto de um horizonte, da promessa de um sentimento, da luz de um carinho...

Ana Martins disse...

Maria João,
Há palavras que mudam por completo a nossa vida.
Gostei desta doce declaração de amor.

Beijinho,
Ana Martins

Graça disse...

É uma verdade simples... quando se ama.

Beijo de carinho, querida Maria João.

Rogério Pereira disse...

Pego na chave que me estendes
(sei ser chave dupla)
se em meu coração já não servir,
para o abrir,
será minha a culpa...

Eliana Mora [El] disse...

Maria Josão

Tua poesia jamais passou-me despercebida. Hoje, que sei os caminhos, quero dizer que as palavras deste poema são de toque profundo em mim.

beijo, da El
[Eliana]

Mel de Carvalho disse...

amiga, hoje estou tão exausta que apenas te deixo um enorme obrigada - creio que o meu blog já está "curado"....

a palavra em si, quando soletrada nos sentidos, tem o poder de dulcificar a alma ...

beijo amiga
Mel

BRANCAMAR disse...

Breve e muito lindo Maria João!
Claro que há palavras que nunca são inúteis e sempre gostamos tanto de as ouvir quando as sabemos saídas de um coração que nos beija.

Beijinhos com carinho
Branca

Mar Arável disse...

Na verdade

manuela baptista disse...

e se ele é folha
será objecto do seu amor

se é vento a ninhos dentro ou coração incontornado se é um ser imperfeito

então será sujeito em busca de si e as suas palavras úteis, desejo eu,
amorosamente sentidas

porque o ama, Maria João!


um beijo

manuela

Mariazita disse...

Sim, minha querida amiga, há palavras que nunca são inúteis - todas as que carregam consigo Amor ou Amizade, por exemplo.
Também nunca são inúteis as TUAS lindas palavras, que compõem poemas tão belos!

Uma boa semana. Beijinho GRANDE

António Gallobar disse...

Olá Maia João

Grato pela presença assídua e estimada em meu blogue, os amigos são muito importantes mesmo quando dizemos que não temos tempo.

Os dias tristes e cinzentos que atravessamos, servem como mordaça, retiram a vontade até de sonhar, mas as tuas... essas continuam inspiradas. Leio e releio

"Amarei todas as folhas onde os teus olhos repousem... lindo uma declaração de amor, contagiante.

Muitos parabens, continua assim, vou fazer por vir mais vezes

Adorei