27 de dezembro de 2010

Fazes-me falta




À beira de mim,
reduto do que sou
anelo de existência,
ajoelho-me no mar
e nele entrego o meu pretérito,
dor assilábica
de todas as rezas de invernia.

Espero-te,
como quem espera o regresso dos deuses
no resgate das conchas

E sei,
porque simplesmente sei,
que é cíclica a melodia
das ondas,
enquanto aguardo no cais
o silêncio manso
da tua chegada.

Mesmo que errante no ocaso
será a surpresa da tua voz
que dançará na minha pele,
como um hino perfumado
tremulando na alma
até à colheita,
do doce manto de tulipas brancas
que há muito crescem
serenas
à tona d' água,
crendo no beijo colorido
dos teus olhos.

Só elas sabem
o quanto me fazes falta.


27 comentários:

Nilson Barcelli disse...

A tua poesia é preciosa...
És uma das minhas favoritas da blogosfera, pois há muito poucos a fazer tão boa poesia como tu.
Querida amiga Maria João, como o Natal já lá vai, desejo-te um feliz 2011.
Beijos.

AC disse...

Maria João,
Há nessa espera a saudade do riso das madrugadas, a convicção de que falta uma peça para o puzzle fazer sentido...
Tocante, muito tocante mesmo! Adorei!

Beijo :)

Meg disse...

Maria João,

Tens o condão de com as tuas palavras me levares para outra dimensão... onde o sonho é possível. Lindo poema, só mais um!
Espero que tenhas tido um bom Natal, minha amiga.

Um beijo

Eduarda disse...

Maria João,

Não sei que adjectivos usar, nesta espera que me entrou pele dentro.

Ler-te será sempre quase uma obrigação.

bj

Lia disse...

Maria João,

poesia linda que nos deixas aqui - adorei minha amiga!
Desejos de um Ano Novo repleto de coisas boas - feliz 2011!

Beijinho amigo*

BRANCAMAR disse...

Maria João,

Muito emocionante essa doce espera, junto do mar que sempre nos traz a paz nas suas marés.
Que 2011 seja TUDO o que espera.
Com um abraço enorme e terno.
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Querida Amiga,


ESPERA


Quando se espera
sabe-se
que essa é a era
em que nasce
o que pondera

E a espera cresce
constante
em hera
amizade
que se enlaça
esfera


Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 27 de Dezembro de 2010

Rosa Carioca disse...

Senti tristeza... uma tristeza suave... uma tristeza leve...
Muito obrigada pela visista e pelas suas sempre lindas palavras.
Feliz 2011!

Andy disse...

sem palavras amiga, sem palavras...
perdi-me na melodia das palavras.
Beijo!

Lari Medeiros disse...

A saudade intensa está emt uas palavras lindas!
Parabéns

Mel de Carvalho disse...

Minha amiga,
ser capaz de admitir o quanto nos é necessária a presença do outro (seja quem for o outro e a dimensão da ausência), e, desta forma subliminarmente bela, única, revelá-la aos que te acompanham neste teu cantar em crescente, é, João, algo que só está reservado àqueles a quem o dom do reencontro se anuncia.
A tua poesia, João, eleva os corações de quem te lê.

Beijo
e a minha eterna gratidão
Mel

Lídia Borges disse...

Maria João

Muito intenso este poema em que o lirismo flutua à superfície de uma espera que não dói... Encanta!

Um beijo

manuela baptista disse...

um dia virá

e será a espera o tempo mais que perfeito
do que não sabemos como é

apenas nos faz falta
a imperfeita mansidão de um sentimento
alheado da dor e anelado em nós

um dia, Maria João!

um beijo

manuela

Daniel Silva (Lobinho) disse...

É belíssimo e suave este poema. Tão elo que alguma fealdade interna ou latente dor se sublimam e esvanecem.

E mais nao digo.

Um Feliz Ano, com imensa paz...

Sofá Amarelo disse...

Todos os hinos perfumados são cíclicos mesmo que as conchas se ajoelhem no mar, serenas, à tona d' água enquanto aguardamos nos cais dos silêncios as melodias das tulipas brancas, pois só elas sabem o que quanto nos fazem falta!

Carla Farinazzi disse...

Uma saudade...?
Tristeza, doce tristeza, talvez...?

Mas somos privilegiados no vernáculo português, Maria João, pelo menos quanto à definição de saudade... como o disse Houaiss "um sentimento mais ou menos melancólico de incompletude"...

eu concordo... Lindo o seu texto, apaixonante, como sempre... pura poesia, minha querida...

Beijo imenso

Carla

Dulce AC disse...

João,

Lindíssima a tua poesia, porque na verdade sentimos sempre a falta de alguém...e porque é nos pequenos detalhes da vida que tantas vezes nos encontramos.

E bem sei sabes bem o quanto é bom ter os Amigos por perto...:-))

Um abraço grande e muito amigo para Ti e muitos beijinhos também... e para a Manuela e o Jaime,

E um Obrigada sem fim... por estarem tão presentes em 2010.
E um Bom Ano Novo para Todos...Com muita Saúde para começar...No demais sei bem Queridos Amigos farão por tê-lo..:-)

Dulce

. intemporal . disse...

.

. só eu [também] sei o "quanto me fazes falta" .

.

. :) .

.

. até porque, este poema traduz tanto de TI e resume um pouco de mim .

.

. à parte isso encontra.se ímpar na redacção .

.

. feliz ano novo, maria joão .

.

. de dois mil e onze .

.

. amplo e feliz .

.

. nesta certa certeza de que serei sempre, teu terno e e.terno aprendiz .

.

. um beijo sentido .

.

. paulo .

.

as-nunes disse...

E eu a olhar as ondas do mar do Pedrógão!

Quantos versos se escreveram ou simplesmente perpassaram pelo sentir de gerações e gerações!...

Que 2011 traga o melhor que for possível!
Podemos desejar mais?

beijo
António

Mariazita disse...

Querida amiga
Para além da beleza habitual nos teus poemas, este tem, a perfumá-lo, a maresia que vem da melodia das ondas.

Desejo que a tua passagem de ano seja feita com muita saúde e alegria, e que recebas o Ano Novo de braços abertos para que ele realize os teus sonhos mais queridos.

FELIZ ANO 2011.

Beijinhos de muita amizade.

Nova Civilização disse...

Amiga,

obrigada por suas palavras... Por sua poesia.

Lindas tulipas!

Feliz Ano novo de muita Paz em nossos corações e muita imspiração para ti ,

beijo grande,

Gisele

AFRICA EM POESIA disse...

MARIA João

Feliz Ano Novo


O MENINO JESUS


Jesus
Pequenino

Sem roupa
Sem agasalho

Num estábulo

Nasceu...
Sorriu...
Amou-nos...

E Ele...
Que em todos os segundos
Nos vigia
Nos protege
Com todo o seu Amor...

Temos a certeza que...
Será sempre Natal...

LILI LARANJO

Ana Martins disse...

Feliz Ano Novo minha amiga!

Beijinho,
Ana Martins

A.S. disse...

A tua palavra
floresce nas nossas memórias,
ergue-se qual pássaro
do futuro.
Juntas o teu grito silencioso
à melodia das ondas,
enquanto aguardas o silêncio manso
de uma chegada...que tarda!
As tulipas brancas
perfumarão o mais longo beijo!


É tão lindo o teu poema M.João!!!

Beijos e um Novo Ano Feliz e sereno!
AL

Virgínia do Carmo disse...

São doídos os silêncios de todas as esperas... mas as palavras são tão belas!...

Beijinho!....

SILÊNCIO CULPADO disse...

Maria João

A tua poesia também me faz falta.


Lindo,

Abraço

Anna Amorim disse...

Assim é a poesia que toca outra alma a distância.
Grata por ter traduzido de forma tão bela sentimentos há muito meus.

BELÍSSIMO!!!!

Te sigo.

Beijos carinhosos