13 de outubro de 2010

Dias sem norte


Hoje
Sou estátua de sal
Perdida de oceanos
Aos meus olhos
Apenas o lodo das marés
Repousa no sargaço
Que envelhece ao sol
E em terra minha
A alma é a quilha de uma caravela
Sem vento e sem vela
Dobrada sobre si
Em agonia

Hoje
Na ausência de um leme
Sou âncora embotada
Que rasga o tempo
A sangrar por dentro
E no meu sentir salino
Procuro um horizonte
Uma fonte ou gota de água
Que me refaça
Garça doce
Esvoaçante
Abraçando a dor
Mumificada


26 comentários:

A.S. disse...

Maria João...

Ler-te é um puro fascinio!!!

Beijos
AL

Mel de Carvalho disse...

Hoje, como em todos os dias da tua vida, se a minha amizade valer de alguma coisa (sei que para ti vale), estarei na praia, ainda que a tempestade me arranque a pele da alma, e, nas mãos terei uma singela orquídea - candeia de luz. Ou uma gota, uma conta, de um rosário que conhecemos, nosso.

Bela a tua poesia, minha amiga. Muito bela.
Beijo
Mel

Vieira Calado disse...

Há dias assim...

Amanhã será melhor que hoje!

Beijinhos

BRANCAMAR disse...

Poesia da mais pura água, Maria João e que ela seja a âncora de um ressurgir para um horizonte próximo.

Beijinhos
Branca

Linda Simões disse...

Maria João

Hoje eu posso segurar a tua mão e caminhar ao teu lado,mesmo que seja somente por alguns momentos. E posso te ouvir.
E posso falar ou ficar em silêncio.
E posso te dar um abraço.
E saberás que há sintonia entre os amigos.

...


Um beijinho

AC disse...

As palavras, sedentas do doce esvoaçar, são vela e são vento, são o desejo do dia seguinte em prol do rumo relembrado...
Aqui as palavras são sempre boa companhia.

Beijo :)

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Querida Amiga,


HOJE


Hoje
se és âncora
na água em que mergulhas
uma ânfora
e tuas duas asas
agitando
das garças
te elevas
esvoaçando

Hoje
és sempre mais que tu
na dor a nu


Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 13 de Outubro de 2010

Mar Arável disse...

Toda a água se renova

se for rio

de beber

no ciclo das marés

Sonhadora disse...

Minha querida
Lindo e dorido o teu poema...arrancado do fundo da tua alma e senti-o na minha de tanto que me disse.

Beijinhos com carinho
Sonhadora

Carla Farinazzi disse...

Maria João

Minha alma me rasga o tempo todo. Sem vento e sem vela, em agonia. Na ausência de um leme...
A sangrar por dentro.

Dor e mais nada.

Um beijo, seu texto me mostra que não sou só eu a sangrar. Obrigada

Carla

manuela baptista disse...

sem norte

é desnorte
em quilha rasgada

inútil o vento
a vela a caravela
basta um peixe alado
que nos leve ao outro lado

de nós

.

muito bonito o seu poema Maria João!

um beijo

manuela

Dulce AC disse...

"Procuro um horizonte
Uma gota ou fonte de água
Que me refaça"

procuro um pouco de mar
e de sol
dentro da minha alma

linha
norteio
do Ser

ouvi a tua voz
e sabes..

Maria João,
no sê-lo maravilhosa a tua poesia
num chamar da alma
vim

estou aqui...

num abraço forte,
muitos beijinhos de ternura

dulce

Ana Martins disse...

Boa tarde Maria João,
hoje o tempo rema noutra direcção, há dias assim, em que a angustia habita em nossos corações.

Lindo o seu poema!

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Lídia Borges disse...

Hoje é dolorosa a sede da garça triste... Mas é imenso o seu voo, ainda que com asas de pedra e sal.

Maravilhoso!

Um beijo

Sofá Amarelo disse...

As estátuas de sal temperam os oceanos das marés em que as caravelas rasgam o tempo de um leme perdido no horizonte onde as garças são doces e as dores são estátuas de... sal!

Nova civilização disse...

Amiga,

Há dias que nos sentimos assim... desse jeitinho, procurando um horizonte. Querendo uma proteção!


Muito lindo. Escreves com a alma ,

beijinhos no coração

Gisele

Andy disse...

Maria João...
o teu poema tocou-me de uma forma tão especial. As palavras de sal fizeram-me sentir a dor e as palavras esvoançantes e doces fizeram-me sorrir.
Adoro completamente os teus poemas!
Beijinho doce com uma mão de conforto!

Lia disse...

Olá Maria João,

adoro ler-te!

Este teu poema toca qualquer ser -todos temos dias sem norte - (porque por vezes a alma é a quilha de uma caravela sem vento e sem vela)- muito bonito!

Beijinho amigo*

Mariazita disse...

Ao poeta são permitidas liberdades - liberdades poéticas - que lhe consentem descrever sentimentos que não são os seus, mas imaginação, apenas.
O teu poema é muito lindo, mas espero que as suas palavras sejam apenas as construtoras dum poema, e não reflexo do teu verdadeiro sentir...

Bom fim de semana. Beijinhos

Andy disse...

Maria João, voltei aqui...
talvez porque queria agradecer a tua passagem no Lua, mas mais que isso queria dizer o quanto a tua presença naquele pedaço de mim, me foi/é importante. E às vezes as minhas palavras parecem pouco perante o que consigo dizer, daí estar aqui de novo.
um abraço!

Teuvo Vehkalahti disse...

Very nice picture, and your blog is fun to read and watch. I like it very much. Come take a look Teuvo images www.ttvehkalahti.blogspot.com blog and tell all your friends also to obtain your country's flag to rise higher in my blog. A very good continuation of the autumn to you. Teuvo Vehkalahti Suomi Finland

. intemporal . disse...

.

. hoje, em.prenho pelos olhos, não pelos ouvidos .

.

.

. bel.íssimo .

.

. um beijo,,, maria joão .

.

Rosa Carioca disse...

É sempre delicioso ler-te...
Grande beijinho.

contagotas disse...

Maria João
Que bom relembrar como são lindos os seu poemas.
Há dias assim, amanhã será diferente!

Beijos
MariaIvone

Virgínia do Carmo disse...

Que a dor se evapore da quilha desse barco...

Terno beijinho!

Mariazita disse...

Maria João
Passando para deixar votos de boa noite, com o Anjo da Guarda por perto... vigiando o teu sono.

Boa semana. Beijinhos