30 de janeiro de 2010

Pessoas singulares V



JOSÉ MANUEL CERQUEIRA AFONSO DOS SANTOS

ZECA AFONSO
1928- 1987


Um livre pensador, um combatente pela liberdade, o músico que soube inovar revitalizando as tradições.
O homem humilde de pensamento solidário.
O extraordinário poeta.
O Português.


Um Homem Singular

É infame o assobio que vaia a sua voz, em tantos momentos, provando que a ignorância é a maior de todas amarras.


É preciso aprender a ouvi-lo de novo !

12 comentários:

Nilson Barcelli disse...

É preciso aprender a ouvi-lo de novo !
Não podia estar mais de acordo contigo.
Querida amiga, bom Domingo.
Um beijo.

AFRICA EM POESIA disse...

Maria Jóao

Só agora respondo
não é normal eu demorar dois dias a falar com os meus amigos
.
Mas...tenho desculpa...A escola preenche-me o dia todo...e a noite é curtinha...

como estive a colocar livros nos envelopes o tempo foi escasso.
Agora mais liberta venho pedir desculpa pelo atraso e deixar ...poesia...(queria que o meu livro voasse para aí...)

um beijinho

COR VERDE



Cor verde
Verde dos pinhais
E dos abetos
Que alegram
Os meus olhos...

----------
Olho-os e vejo
Os pássaros que chilreiam...
Que voam...
Que vivem plenamente...
A sua liberdade...

----------
E olho...
Fecho os olhos...
E sinto... que também eu...
Se fosse ave...

----------

Conseguia voar e ser...
Totalmente livre...

LILI LARANJO

Sofá Amarelo disse...

Um Homem que foi mais usado - literalmente - do que muita gente pensa! Usado pelos partidos políticos, especialmente, que se serviram dele enquanto dava votos!

E usado ainda hoje depois de mais de 20 anos da sua morte! Pena que os mais velhos e com responsabilidades não saibam explicar que ele não foi apenas um homem que cantava umas canções que incomodavam o poder naquela altura mas sim um HOMEM simples, talentoso, genial mesmo e que marcou várias gerações e - quando a história lhe fizer a homenagem que ele merece - veremos todos que foi um dos portugueses mais influentes e importantes e sempre!

Venham mais 5... milhões, de uma assentada!

Teresa disse...

Concordo, vamos aprender a ouvir esse extraordinário músico e poeta que foi José Afonso. Deixando de lado os aproveitamentos políticos.
Bjs

Silvana Nunes .'. disse...

Boa tarde, Maria.
Eu recebo lendas de todos os meus antigos alunos. Gosto de trabalhar com os populares porque não precisa ficar queimando a pestana atrás da autoria. Eu leio tanta coisa mal escrita na internet que é de aterrorizar. Chego a conclusão que é por isso que as pessoas não se interessam por ler, como entender algo tão mal escrito, fruto de copia e cola ?
Procuro dar uma outra roupagem as lendas, algumas muitas são da minha infância, contadas pela minha avó materna. Adorava ouvir. E aos poucos, conforme vou lembrando, procuro reescrevê-las.
O post de hoje é sobre o Berimbau.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja Bom domingo para você.
Com relação ao seu post, esse autor eu não conhecia, vou pesquisar sobre ele.
Beijão.

. intemporal . disse...

.

. ser singular é viver na antítese do plano .

. onde somos mundo contemporâneo .

. uma boa semana,,, .



. um beijo meu .



. paulo .

.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Maria João


Eu oiço-o muitas vezes. Nunca me canso.


Abraço

Rosa Carioca disse...

É preciso mais Homens como ele...
Beijinhos.

Nova Civilização disse...

Amiga,

obrigada pela partilha. Não o conhecia mas me fez feliz em poder descobrir o que é bom e imortal!

beijinhos no coração,

Gisele

Carlos Albuquerque disse...

Nenhum machado lhe cortou, nunca, o pensamento.
Professor e poeta, livre, solidário e humilde, como só os homens grandes são capazes de o ser.
Este Homem (conheci-o!), de gesto fagueiro e olhar terno, escreveu poemas com povo dentro deles. Houve quem deles fizesse bandeiras políticas. Zeca, não! A única bandeira que levantou sempre bem alto, foi a da Liberdade, do pensamento livre, da solidariedade entre os homens.
Culto e sensível, a sua voz única ainda hoje toca fundo nos homens de boa vontade!
É, como diz, Maria João, é preciso aprender a ouvi-lo de novo!
Um beijo

A.S. disse...

Maria João,

A voz do Zeca, cada vez é mais actual!
A canção, continua a ser uma arma!


Beijos...
AL

Mariazita disse...

Maria João
Foi uma perda enorme.
Apetece-me dizer que foi uma injustiça deixar-nos tão cedo.
Ouço-o com muita frequência.
Na "Casa" eu tinha "Os vampiros".
Bom recordar.

Beijo com carinho
Mariazita