3 de janeiro de 2010

Hoje canta o poeta...




FLORBELA ESPANCA




Desejos Vãos



Eu queria ser o Mar de altivo porte
Que ri e canta, a vastidão imensa!
Eu queria ser a Pedra que não pensa
A pedra do caminho, rude e forte!

Eu queria ser o Sol, a luz intensa,
O bem do que é humilde e não tem sorte!
Eu queria ser a árvore tosca e densa
Que ri do mundo vão e até da morte!

Mas o Mar também chora de tristeza ...
As árvores também, como quem reza ,
Abrem, aos Céus, os braços, como um crente!

E o Sol altivo e forte, ao fim de um dia ,
Tem lágrimas de sangue na agonia!
E as Pedras ... essas ... pisa-as toda a gente! ...



.... na voz de MARIZA

Ilustração de Paulo Salvador

13 comentários:

Rosa Carioca disse...

Gosto muito de Florbela, uma mulher para além de seu tempo...

Mariazita disse...

Amo Florbela!
Tenho todos os livros que nos deixou (não são muitos, infelizmente, que não teve tempo para escrever muito), e gosto muito, muito, de Mariza.
Acho que ela interpreta muito bem Florbela.

Tenho me esquecido de fazer um comentário ao teu novo visual :) - do teu blog, claro.
Está muito bonito: sóbrio, discreto, em perfeita comunhão com a sua autora...

Deixo-te o primeiro beijinho do ano, deste 2010 que te desejo brilhante como o sol!

Meu carinho
Mariazita

Cris Tarcia disse...

Maria João , como foi a passagem de ano?

Para você muitas realizações neste Ano que começa, alegrias muitas

Beijos

Ana Martins disse...

Olá Maria João,
Florbela Espanca é sem dúvida uma poetisa de talento, grata pela partilha!

Beijinhos,
Ana Martins

Sofá Amarelo disse...

E ela quis amar, amar, perdidamente... se amou muito não sei, calculo que sim, mas deixou imensas dádivas para que os que as escutam possam , esses sim, amar perdidamente!

Muitos beijinhos. Continuação de um bom Ano!!!

José Quintela Soares disse...

Sem a voz de Mariza...fica bem melhor.

Até mesmo em silêncio.
Ou principalmente em silêncio.

Bom Ano!

Nova Civilização disse...

Maria João,

a intensidade de Florbela Espanca, nos faz arrancar as dores e olhá- las de frente!

"Há uma primavera em cada vida: é preciso cantá-la assim florida, pois se Deus nos deu voz, foi para cantar! E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada que seja a minha noite uma alvorada, que me saiba perder...para me encontrar...."

Florbela Espanca

Beijos no coração. Que seu ano Novo seja repleto de amor!

P.S AMEI A MÚSICA...

com carinho

Gisele

Carlos Albuquerque disse...

Maria João
A poesia de Florbela Espanca sempre me provoca os sentidos.
Não sei, encontro nela um canto florido, mas também melancolia, muita solidão e, por vezes languidez.
A poesia de Florbela Espanca encanta e perturba.
Mas isto sou eu para aqui a falar, desajeitado.
Beijinhos
--
PS - A sua casa está bem mais bonita!

Nova Civilização disse...

Querida amiga,

deixei-lhe um desafio no meu blogue, algo diferente do habitual, se quiser aceitar...

beijinhos no coração,

Gisele

Nilson Barcelli disse...

Adoro a poesia da Florbela Espanca.
O soneto que escolheste é muitíssimo bom.
Querida amiga Maria João, desejo-te
um bom resto de semana.
Beijos.

Mel de Carvalho disse...

João,

sublinho "queria ser pedra que não pensa" ... em certos momento.

Florbela é "apenas" uma das nossas (comuns) poetas preferidas.

Fica um fraterno abraço.
Mel

Cosas Biel disse...

Que maravilha, parabens foi uma grande poetiza.

Abraço

AFRICA EM POESIA disse...

Maria João

BOM ANO

Rugido

Rugido forte
Rugido de Leão...
Leão verde, castanho ou amarelo
Animal...Rei...
Rei da selva...
Rei do Mundo...
Fazes inveja...
Fazes sofrer...
Mas és o nosso símbolo...
Símbolo nobre e corajoso...
E por isso...
Nós sofremos contigo...
Gostamos de ti...
Quando ganhamos...
E quando perdemos...
E no perder...
Ainda te queremos mais...
Pois aí sentimos o carinho...
De te confortar...
De te pagar devagarinho...
E dizer-te baixinho...
Amanhã, vamos ganhar!...

LILI LARANJO