4 de novembro de 2011

Partículas de mar



Somos apenas partículas de mar.
Gotas de água de um oceano imenso.
Esquecermo-nos disso,  é viver inutilmente nas margens de uma vida sem nunca encontrar uma foz que nos abrace.




13 comentários:

Mel de Carvalho disse...

Somos, minha querida amiga. Somos, apenas e só, ínfimas partículas de um mar imenso que, sendo enorme, é apenas e só, ele mesmo, ínfima partícula de um universo maior e mais lato,

e, sendo quem somos, o que somos,
esquecemos-nos, por vezes, tantas vezes, que

"tudo o que fazemos/somos na vida ecoa na eternidade ..."


Beijo, amiga (sabe bem, depois de um dia de luta, a serenidade destas palavras).

Obrigada, mil obrigadas :)

Mel

Lídia Borges disse...

Assim é, querida João.
Mas o individualismo vai ganhando terreno, neste mundo fragmentado em que o homem tende a ignorar o Todo a que pertence, pondo em causa a organização das sociedades tradicionais. Essas tendências de sobrevalorização do pessoal em detrimento do colectiva vem denunciar a necessidade do homem moderno encontrar uma nova ordem que lhe permita expressar a sua individualidade dentro de um sistema social mais equilibrado e mais justo.

Um beijo

Lídia

BRANCAMAR disse...

Olá Joãozinha,

Uma reflexão muito pertinente nos dias de hoje, em que o Homem de uma forma geral precisa fazer uma inversão no sentido de encontrar essa foz que o abrace, em vez de correr para um conforto fácil, mas suicida.

Beijinhos para uma gota enorme, que ajuda a encher o oceano das pequenas-grandes certezas.

Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Querida Amiga,

Mas ... haveria mar sem partículas ou oceano sem gotas de água ...?

E foz que nos abraçasse!?


Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Novembro de 2011

Nilson Barcelli disse...

Tens toda a razão.
Gostei das tuas palavras.
Querida amiga Mª João, tem um bom Domingo e uma boa semana.
Beijos.

Tere Tavares disse...

Maria João,
...somos líquidos, desde sempre.

beijo

Iraci! disse...

Foi por acaso que vi o link do teu blog. Mas não foi por acaso que li tuas palavras. Há pouco tempo uma amiga voltou de Portugal. Falava o quanto gostou de cada momento que viveu neste País/Irmão do Brasil. Também não foi o acaso que fez esse parentesco nascer. Gostei por demais de tuas letras. Profundas e singelas, da mesma forma marcantes. Sou suspeita, pois amo as letras. Quem sabe vamos trocando-as nesse universo virtual. Tão grande e tão cheio de "detalhes".
Grande abraço,
Iracimara.

Mar Arável disse...

Vagarosos instantes

... e já é tanto

manuela baptista disse...

Maria João, menina gotinha de água!


um beijo

manuela

Rogério Pereira disse...

Uma partícula de mar,
olhou-me.
Reparei no seu olhar.
Tinha uma lágrima
Estava a chorar
Porque choras
camarada partícula de mar?
Porque não tenho uma foz
para me abraçar
Abracei-a eu
e convenci-a
que o mar era nosso destino,
que as margens são aquilo
que nos limita, mas o mar é tanto.
Pronto.
Acabou-se-lhe o pranto

Andy disse...

o mar e os seus misteriosos segredos...
poderoso com certeza... poderoso como um abraço!

Beijo enorme, amiga!

Sonhadora disse...

Minha querida

Fico em silêncio, porque o teu poema FALOU tanto.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

AC disse...

A humildade ajuda a perspectivar-nos duma forma mais ampla. Profundo e verdadeiro.

Beijo :)