7 de agosto de 2010

Na memória das rosas



Plantei na linha do horizonte
As rosas que te darei no Inverno
Quando a neve cobrir em manto
A minha melancolia
E o sol pintar nelas a cor
Aquietada dos meus olhos
Serás o que delas fizeres
Enquanto esperas o ocaso
E assim nascerá o perfume
Que torna as coisas eternas
Serão elas, enfim, dentro de ti
Serei eu, assim, na memória delas




18 comentários:

manuela baptista disse...

Maria João

que bom sentir
esta linha do horizonte

na promessa de uma neve
doce e fria

melancolia
será o perfume escolhido
para dançar a memória
das coisas eternas

que nos empresta assim!

muito bonito!

um beijo

Manuela

Lídia Borges disse...

"O perfume que torna as coisas eternas"
E serão eternas estas rosas que esperam a cor de um poente longínquo...

De uma sensibilidade tocante!

Um beijo

Nova Civilização disse...

Amiga,

magnífico... essa linha do horizonte me trouxe a Paz!

P.S: concordo com todos os detalhes que você defende. Adorei!

beijinhos no coração,

bom domingo,

Gisele

Por toda minha Vida disse...

Bom dia, Maria João.

Primeiro lindo teu nome, forte assim como tua lindo poema.
Adorei e aqui voltarei e vejo minha doce Manuela como tua seguidora.

Renata

AC disse...

Maria João,
Gostei da sua forma de escrever poesia desde o primeiro momento, e esta memória das rosas só vem reforçar a impressão.
Que o perfume se liberte sempre das suas palavras.

Beijo

A.S. disse...

Maria João,

Vim deliciar-me com as tuas palavras! Porque sim!...


BeijOOO
AL

Sofá Amarelo disse...

São as rosas que melhor definem a memória, pois de memórias é feito o perfume que se espalha nas linhas que o horizonte traça tornando eternas as coisas que expostas ao ocaso se perdem nas memórias de um tempo que ainda há-de vir...

Sonhadora disse...

Minha querida
Senti o perfume das rosas, neste poema sublime.

Beijinhos
Sonhadora

Nilson Barcelli disse...

Tão cheio de significados estas tuas belas palavras.
O poema é excelente, querida amiga. Gostei imenso.
Bom resto de semana.
Beijos.

Virgínia do Carmo disse...

Das palavras que plantas nasce sempre uma terna beleza...

Beijinhos!

. intemporal . disse...

.

. sobre o ventre as rosas .

. sob o seio o entre.meio .

.

. no devaneio do inverno que anseio .

.

. e da colheita rare.feita de sermos nós no horizonte semearemos um momento a sós .

.

. e a noite serão todos os dias num nó.de.mãos entre.laçadas pelo vento norte na liberdade inteira na derradeira sorte .

.



. beij.íssimo,,, simples.mente .

.

. maria joão! . sempre .

.

. paulo .

.

BRANCAMAR disse...

Querida Maria João,

Belíssimo sentir feito de rosas.
Versos lindíssimos e tão plenos de um amor sereno.

Das rosas, que adoro sempre, levo o perfume e a pureza branca das mesmas.

Beijinhos
Branca

. intemporal . disse...

.

. e,,, .

. porque és simples.mente na memória de mim .

. e porque a.manhã é sábado .

. "Entre um café e um pastel de nata" .

.

. recebe um beijo meu .

.

. na memória viva em que te lembro com amizade e muito, muito carinho .

.

. um bom.fim.de.semana .

.

. paulo .

.

Alis disse...

Olá ainda não acabei de ler nada....
mas faz tempo que queria vir aqui deixar um beijinho....

parabéns e obrigada.....

adorei o espaço e as palavras...
o perfume das pétalas de sentir...

beijinhos

Ana Martins disse...

Boa noite Maria João,
tão lindo e delicado!

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Mariz disse...

Salvé MAria João queridissima alma

Amei este poema...
Fez-me lembrar as rosas que se tornaram pão...
quer sejam odor ou sabor elas matam a fome de quem sober Ser

Grata pelas palavras no anterior e neste post
gostei muito e segurei as palavras.

Sempre...
(E)ternamente...
Mariz

Mariz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariz disse...

VOLTEI AQUI...
não sei o que m eestá a dar---já nem sei escrever...

errata:

"souber" e não sober

Deixo um beijo e informo que ainda não me apeteceu ir á "rua" ou seja, andar 1km e meio até á civilização da aldeia mais proxima, aos CTT.
Por isso não ter enviado ainda nada para ninguém.

Carinhosamente
MAriz


Nota: entraram nos meus blog e "rapinaram" todos os códigos de backgrounds e outras cábulas que tinha.
Deixaram apenas alguns links que agora apenas uso nos novos das web disigners.
Algumas das "queridas amigas" passei-lhes a mionha pass-word...agora "xuxo" no dedo...porque até montes de imagens eu guardava em blogs que abri para na eventualidade de o computador pifar eu ter alguma coisa em arquivo!
É assim....
A vingança, a raiva, e outras coisas mais é no que dá.