15 de junho de 2010

À procura da esperança

















Desenharam-me imensa
Para embalar com o olhar a dor que te aperta,
Traço negro e redondo

De todos os contrastes e assimetrias,
Desassossegos e lagos de solidão
Feitos marés e maresias.
Aí flutuo em vagares e assombros,
Rasgando nas tuas pálpebras
O traço preciso de um ténue sorriso ,
Brisa de todas as manhãs .
Desenharam-me imensa
Para partir vida fora,
Pé- ante- pé, dentro do meu corpo
Alma sem bússola
Barco sem porto
À procura da esperança
Que haverá de salvar o mundo ,
Sinal rarefeito
No olhar límpido e perfeito, de uma criança


12 comentários:

Sonhadora disse...

Simplesmente maravilhoso este poema, na sua tristeza real.

beijinhos
Sonhadora

MCampos disse...

Um poema lindo, Maria João, porque a fizeram com alma de poeta, cheia de esperança.

Um beijinho e bom resto de semana.

Teresa disse...

Já tinha intuído que te desenharam imensa, mas tenho a certeza que a tua alma tem uma bússula e por ela te guias.
Bjs

Mel de Carvalho disse...

Minha amiga,
a mim não sei como me desenharam, mas quem dera seja "criança" a quem abrigas em colo ...

Do poema?
Que dizer se não: és IMENSA!!!!


Beijo, Joãozita.
Mel

. intemporal . disse...

.

b
e
l
.
í
s
s
i
m
o

.

. que se rare.faça a esperança .

.

. por en.quanto .

.

. o sonho alcança .

.

. um beijo,,, maria joão .

.

. paulo .

.

Mariazita disse...

Amiga minha
O teu poema é tão... cheio, tão imenso, que se torna difícil dizer algo mais do que: adorei!
É que ele já diz tudo, e qualquer coisa que se acrescentasse...estragava.
Tu sabes quanto eu gosto da tua poesia (tenho o "tal" poema gravado e vez em quando passa-me debaixo dos olhos...), e a cada dia que passa parece que gosto ainda mais.
Parabéns, minha querida, e que esta tua esperança não esmoreça nunca.

Beijinhos mil

Lídia Borges disse...

Maravilhoso, Maria João!

Imenso este sentimento maternal num mundo onde faltam tantas mães e sobram tantos filhos.

Um beijo meu

AC disse...

A esperança é mesmo, como diz, a "brisa de todas as manhãs".
Nunca é de mais falar dela, estimulá-la, acariciá-la...
Não conhecia este espaço, mas gostei.

Bjs

Teresa disse...

Não há palavras para classificar a beleza do sentimento que pões nas palavras...leio-as com tanta atenção, tal como ouço as que me dizes!

Obrigada por teres esperança e por seres esse desenho que levo sempre comigo.


**Mana

Sofá Amarelo disse...

O sonho não tem limites, podemos desenhá-lo imenso, ir ao fim do mundo através dele (sonho), manobrá-lo, adaptá-lo, recriá-lo... o pior é o outro lado do sonho, aquele que é feito a traços negros em desenhos sem cais rasgados em desassossegadas marés e maresias de assombros...

Ana Martins disse...

Boa noite Maria João,
o poema traduz a tristeza no olhar deste pequenino e indefeso Ser... Sublime!

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Carlos Albuquerque disse...

A esperança salvadora é, actualmente, um ponto na imensidão...
Só está ao alcance de quem é imenso como a autora deste belo poema (mais um).
Beijinhos