3 de setembro de 2012

No deserto das sementeiras





Apagou-se aquela luz inteira
sobre a terra a entristecer
o vento é de cinzas sobre os olhos
na boca o pó
a morte das sílabas.

Que nos resta
se não é de sal a água dos nossos rios?

Repovoemos as entranhas 
do chão
este lugar inóspito
de coração e alma
 e lavremos de novo
à beira mar
um jardim de pássaros
mastros e velas
palavras com raízes
céus de sol e outras estrelas.

Presos ao rescaldo
só as sombras tomarão os rostos
no deserto das sementeiras.



11 comentários:

Rogério Pereira disse...

Repovoemos o deserto
que o tempo tarda

Lídia Borges disse...


Ah!... "Um jardim de pássaros, mastros e velas" aniquila qualquer deserto.

Beijinho

Brígida Luz disse...

Há sempre uma tal delicadeza
na tua linguagem poética,
sementes de luz,
nas palavras que te sabem.

Obrigada, Maria João. Um beijinho :)

Andy disse...

apesar de tonalidades cinza e ventos neste deserto, ergue-se sempre na tua voz uma força maior que nos eleva ao céu, imenso, como o teu coração.

beijinho enorme, amiga!

Mariazita disse...

Minha querida amiga
Muito obrigada pelas tuas palavras, recheadas de carinho e amizade.
Eu estive 10 dias fora, mais ou menos "arrastada" pelos meus filhos.
Mas sinto que me fez bem (embora eu não tivesse vontade de ir...), porque desanuviei um pouco e ajudou-me a encarar com alguma conformação a terrível realidade do "estar só".
Há que seguir em frente, sem dúvida, e se Deus optou por me deixar cá... só me resta aceitar (mesmo com muito sacrifício).

Adorei o teu poema. Estamos todos necessitando muito de jardins, floridos, com pássaros e velas, que nos dêem a esperança que se sente nas tuas palavras poéticas.

Eu também nunca te esqueço, ainda que por vezes me mantenha um pouco afastada. A amizade verdadeira resiste à distância que, às vezes, se impõe.

Bom fim de semana.
Beijinho muito GRANDE

ONG ALERTA disse...

Que as palavras voem...beijo Lisette.

BRANCAMAR disse...

Olá Maria João,

Por aqui a inspiração tem estado em alta e eu rejubilo com isso.

Adorei.
Beijinhos

Evanir disse...

Uma das grandes bênções da vida
é a experiência que os anos vividos nos concebem.
Aniversariar é uma amostra das oportunidades que temos de aprender a contar os nossos dias.
mais uma janela e abre diante dos meus olhos,
mais um espinho foi retirado da flor,
restando somente a beleza de tão bela data.
Com fé, na esperança e no empenho por ser melhor a cada dia.
Seguindo pelos caminhos da verdade e do amor.
Um dia encontrarei o mais belo jardim, o jardim que representará a realização
dos meus maiores sonhos.
Com saudades .
desejo um feliz final de semana
venha curtir meu aniversário.
Beijos na sua Alma,Evanir.

Nova Civilização disse...

Amiga,

Vim retribuir a visita e te dizer que durante um tempo a sua poesia foi muito importante para mim.Continua sendo...minha vida tomou um rumo muito diferente do que imaginei, mas estou feliz.Quanto te lia era como um sopro de vento, como poderei te esquecer.Traduzia me vida, e isso és tão importante para alguém que se julga aprisionado. Hoje o tempo está mais corrido,continuo amando a vida e brigando contra a tristeza, passo por aqui de vez enquanto, mas silenciosa.Estará sempre em meu coração,minha amiga poetisa que eu admiro tanto!

beijos

Gisele.

Nilson Barcelli disse...

Creio que te referes aos país, onde o deserto de sementeiras é cada vez maior.
Foste brilhante neste poema, como sempre.
Maria João, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijinhos.

vieira calado disse...

Bonitas palavras de esperança, amiga!
Que ela nunca morra!
Bjsss