30 de agosto de 2012

Sonhar de novo



Couple in Window - Marc Chagall"


Quero ver-te
Perscrutar no teu rosto a alma que em ti deixei, há tanto tempo
Num tempo em que me ajeitava, nesse teu jeito peculiar
E me excedia em risos à porta de nossa casa
Céu e mar.

Quero ler-te
Saber dos caminhos e dos atalhos
De todas as luas e ausências
Se chorei, se chorámos
Quantas vezes nos abraçámos
Sem sabermos.

Porque te amei, porque nos amámos
Porque nos perdemos
Porque nos achámos
Quero ter-te
E sonhar de novo a vida inteira.


7 comentários:

Lídia Borges disse...


É sempre tempo de partir, de novo, levando na bagagem a experiência de outras viagens. Ou não...

Terminei hoje a leitura de um romance de Mia Couto. No final, há umas determinadas pétalas que quando mascadas levam ao esquecimento de tudo, como se aquela terra tivesses de morrer para nascer de novo e se fazer outra.
De quando em vez, todos necessitassemos de novas nascenças - digo eu, ainda influenciada pelo inconfundível deste autor.

Um beijo

Brígida Luz disse...

Poesia perfumada, a embalar-me os sentimentos.

Beijinho, Maria João :)

Mar Arável disse...

No ciclo das marés

nunca teremos as mesmas águas

Ives disse...

Lindo blog Srta! Um abraço dado a distância tem mais profundidade! abraços

Mel de Carvalho disse...

minha amiga,

direi apenas

"é pelo sonho que vamos".

bem-hajas, sempre, por cada sonho partilhado

poema!

beijo, a minha amizade e o meu carinho,

Mel

Virgínia do Carmo disse...

Há tanto de tudo neste nosso procurar...

Belo, sempre.

Beijinho enorme, querida João!

Nilson Barcelli disse...

Nunca devemos desistir do sonho.
Para além de ser um bonito poema de amor, é um excelente poema. Gostei imenso.
Maria João, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijo.