13 de maio de 2012

Asa peregrina




Não tenho braços que cheguem ao fim do mar
Mas é inteiro este corpo
Que num lago se faz asa peregrina
Assim te louvo

Aqui te rezo
Neste altar de céu e terra.





6 comentários:

Lídia Borges disse...

Como uma devoção, uma necessidade de realizar, de construir, sabendo que os braços não abarcam tanto mar em tumulto, mas ser "asa peregrina" num pequeno lago é já tanto!


Um beijo

Mar Arável disse...

Voa

de preferência nas asas
pétalas
das minhas papoilas

Virgínia do Carmo disse...

Bela a forma como nos abraça esta tua oração.

Um beijinho imenso, querida João

Filoxera disse...

Somos todos, sempre, peregrinos do amor.
Bela busca, esta tua...
Beijos.

AC disse...

Somos tão pouco e queremos tanto! Mas é, sem dúvida, esse o caminho.

Beijo :)

António Gallobar disse...

Belissimo