27 de março de 2012

Nuvens pesadas



« Nuvens pesadas suspensas sobre muitos homens não os deixam pensar.
Ainda que ergam a cabeça, estão isentos de ideias, de contrições e de amor.

É uma formula: um homem dedica o seu dia à escuridão do gesto, submete o corpo aos instintos mais pesados, toma banho de pijama, não olha pela janela nem atravessa pontes.

E o resultado: um dia de chumbo em excesso para o somatório de cicatrizes,
um nível abaixo do penteado.

A liberdade é, nestes casos, o maior desperdício de um homem-livro, uma tirania difícil de inalar.


Dão-lhe poesia e ele escreve tempestades.»


MENDES, Sílvio (2011: p. 46), Inéditos in: Golpe d'Asa
fotografia de Carlos Gotey

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

Por vezes sirvo-me destas palavras pesadas
quando escrevo tempestades
(mesmo depois de ter ler,
quando és tu a escrever)

Lídia Borges disse...

"Dão-lhe poesia e ele escreve tempestades"

Nada mais natural, sob nuvens pesadas, brotarem tempestades "um nível abaixo do penteado".

Para pensar!

Beijinho

A.S. disse...

É sempre com redobrado prazer que leio as tuas palavras!...


Abraços,
AL

Filoxera disse...

Às vezes nem é o pensar que faz falta, mas o sentir...
Beijos, amiga.

BRANCAMAR disse...

Digo o mesmo que a Filoxera.

Quando as nuvens são pesadas, há momentos em que o sentir é desesperadamente sobrecarregado...mas é preciso olhar pela janela, atravessar pontes, encontrar a poesia...

É preciso...

Mas, até para encontrar a poesia há que ter o mínimo de qualidade de vida, que não significa dinheiro, mas outras condições humanas...

Será que aqueles que trabalham de sol a sol e que as cada vez mais complicadas condições de trabalho permitem a todas as pesoas sentir minimamente a vida? Vejo-as massacradas, subjugadas, arrastadas até um fim de dia em que o corpo só lhes pede paz...

Obrigada pela partilha de tão interessante texto. Para reflectir.

Beijinhos Maria João.
Branca

Mel de Carvalho disse...

belo, minha amiga.
um beijo e uma Santa Páscoa - estou quase de partida :)

Mel

Cris Tarcia disse...

Maria João, muitas pessoas andam assim, não colocam amor nos seus gestos, não atravessam pontes, não arriscam, não sonham, triste vejo muitos assim , uma vida sem sentido.

Beijos querida