15 de janeiro de 2012

Detalhes de poesia (Rosário Alves)


"Studying"  
Iman  Maleki - 1998















pastoreio reflexos na desordem do solo
como pergaminhos deitados por terra
em horas corridas ao abandono

almejo adivinhar a idade do mundo
na luz interposta pelos traços de hoje
rebusco nas pausas que se abeiram da sombra
uma identidade atemporal
onde todos passeamos cumplicidades
inscritas nas mãos que apertamos com fé

alguma cadência na rotação do sol
nos há-de marcar os compassos
de uma dança universal

não busco diferenças
não procuro distâncias
sigo o trilho da cor que adivinho ser marco
do mesmo medo em todos os olhos
com laivos de esperança a faiscar dos sorrisos

em todos os corpos a mesma espera
de um abraço placenta quente e inteiro
transversal à pele à carne e aos ossos
e à memória genética que precede a existência

e eu pastoreio reflexos
arrebanhando contrastes
num vasto improvável
puzzle mental
onde as sombras se encaixam
e a luz se unifica

porque no núcleo interno
das nossas potências
sabemos
que a natureza não sustenta enganos


"reflexos" de  Rosário Alves 

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

Tem razão o poeta
E a natureza humana,
também ela,
não se engana
Apenas adormeceu

Irá,
Irá acordar,
quando a tal luz
se unificar

Lídia Borges disse...

"Sigo o trilho da cor que adivinho ser marco
Do mesmo medo em todos os olhos
Com laivos de esperança a faiscar dos sorrisos."

Das esperas do "abraço placenta quente e inteiro..."
Somos todos tão parecidos!...

Um beijo
Boa escolha!

Bergilde disse...

O tempo não pára jamais embora muitos pareçam adormecídos no tempo.Mas, o poeta na sua profunda sensibilidade é capaz por meio de palavras transmitir tal sensação!

antónio ganhão disse...

Pastoreio do tempo, ninguém lhe resiste à sua cadência...

Rosário disse...

precisava de uma palavra que não encontro. uma que dissesse tudo. da gratidão.do carinho.da luz que enlaça o tempo e o espaço em gestos de partilha...

e adoro a música :)

na falta da palavra,

abraço-te M. João

Nilson Barcelli disse...

Belíssima escolha.
A poeta está de parabéns, pois só por este poema já é possível sentir o seu talento.
Beijo, querida amiga.

Mar Arável disse...

Excelente partilha

Bj