27 de outubro de 2011

Outra luz



           Repara poeta;
           No arrasto das folhas ao uivo do vento
     
           As horas não morrem
          
           Aconchegam-se no olhar perdido dos olhos
           À espera que o teu relâmpago
           Ilumine
           A noite de todas as cegueiras



12 comentários:

Bergilde disse...

Olhar sensível dos detalhes da vida que somente o verdadeiro poeta é capaz.
Abraço carinhoso,

Lídia Borges disse...

"As horas não morrem" e o poema é a espuma de um olhar que sabe desnudar as coisas, revelando-as como se fossem sempre novas. Ninguém como o poeta sabe encontrar a palavras que melhor expressa o objecto por dizer.

Um beijo

BRANCAMAR disse...

No último post de "A Matriz dos sonhos" há um verso de António Ramos Rosa que diz:

"Nada é inacessível no silêncio ou no poema."

Assim o demonstraste aqui Maria João, porque é esse relâmpago poético de que falas, que ilumina as nossas almas.

Beijinhos



Beijos

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Querida Amiga,

Sim, já reparei!

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 28 de Outubro de 2011

Tere Tavares disse...

Desse luzir sem fim e de tempo sem notas - nasces, folha de sol.

Beijos

Virgínia do Carmo disse...

Às vezes um poema tem a luz de um relâmpago.

Beijinho terno e saudoso, João

Carlos Albuquerque disse...

Espero, peço, que a minha ausência seja perdoada.
Amo a serenidade da minha alma e o respirar tranquilo do meu epírito.
Mas, minha amiga, o que me consola são leituras como a deste seu post.
"À espera que o teu relâmpago ilumine a noite de todas as cegueiras".
É por haver quem assim escreva que eu acredito que a vida faz e tem sentido.
Abraço grande.

AC disse...

Maria João,
Creio que todo o poeta ambiciona isso, que o seu relâmpago ilumine...

Beijo :)

Sofá Amarelo disse...

As horas não morrem... mas mudam! E só o olhar do poeta consegue aconchegar o olhar nas noites de cegueira e de vento...

Sonhadora disse...

Minha querida

Como sempre belo o que dizes em momentos de poesia inesquecível.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

manuela baptista disse...

iluminada seja então a noite

na luz de cada dia


um beijo

Andy disse...

não há tempo nas palavras que o vento folheia, as horas são compassos menores no tempo do coração...
sempre luminosas as tuas palavaras!

Beijinho, querida amiga!