7 de dezembro de 2012

Claridades



duy huynh

Vale a pena
Cerzir o peito de silêncio e de renda
Até ser seda
E sem asas ter voos transbordantes
Veem melhor os olhos sem poeira
As paisagens, dos olhos mais distantes.



   

14 comentários:

A.S. disse...

Muito lindo M. João!...


Um beijo!
AL

Anna disse...

Tinha saudades de ti...
Abraço-te...

Maria João Mendes disse...


chegar longe num olhar,

para que as asas?

Lindíssimo!

Beijo

BRANCAMAR disse...

Espectacular este poema Maria João, entendi-o tão bem!
Belíssimo, sente-se que vem da alma.
E aqui estou, sempre.

Beijos
Branca

Rosa Carioca disse...

Que bom! A poesia de volta!

BRANCAMAR disse...

Voltei para reler este silêncio ed seda.

Beijos
Branca

BRANCAMAR disse...

Olá Maria João.
Passei só para dizer Bom dia e desejar Bom Domingo, aqui onde o silêncio é de seda e a música nos faz voar...

Beijos
Branca

Lídia Borges disse...


Vale a pena, sim!...

Como o alpinista que se afasta para, do vale, melhor poder ver a montanha.

Bem-vinda, João!

Beijo

Bergilde disse...

Seus versos são sempre carregados de grande emoção.Belo retorno!Abraços meus,

AC disse...

Palavras que respiram, palavras que inspiram...
Tão bom tê-la de volta, Maria João!

Beijo :)

Mariazita disse...

Hoje venho convidar-te a visitar o meu blog
HISTÓRIAS DE ENCANTAR
, onde, excepcionalmente, acabo de publicar um post.
Desde já fico muito grata.
Beijinhos

PS - No próximo dia 14 haverá post novo em A CASA DA MARIQUINHAS

Rogério Pereira disse...

Ai esta minha mania
Este meu ar displicente
De te querer presente
E, de seguida, ficar ausente

"Vêem melhor os olhos sem poeira"
se usassem bem o olhar que têem

Andy disse...

verdadeiramente seda, as tuas palavras, amiga!
e a pintura e música, envolvente como sempre.

um enorme beijinho!

Mel de Carvalho disse...

obviamente que vale, amiga. é no saber ser silêncio que os sentires se aprimoram ...

beijo, Joãozinha
Obrigada. Belíssimo!!!