13 de dezembro de 2012

Corações de inverno





Algo me entristece neste mundo
Que se vê agora mundo no cume dos pinheiros
Nesta chama humana e quente
Que em Dezembro
Aquece o espaço gelado das mãos
E embrulha de mil abraços
A solidão das pedras
As paredes silenciosas das casas
Os olhos tristes dos meninos
As bocas a salivar miséria
E a história sem memória
No regaço dos velhos.

Algo me entristece
Nesta luminosidade nova
Neste jardim florido
Em corações de inverno
Que exuberantes
Fazem nascer em poucos dias
O que neles morrerá em breve
E parecia ser eterno.



9 comentários:

Lídia Borges disse...


Partículas luminosas que não se podem desprezar no deserto de estrelas que nos tomou o céu.


Beijo meu

Rogério Pereira disse...

É o Inverno, poeta
É o Inverno
O que não é eterno
E não há tristeza que sempre dure

(que bom tê-la de volta)

Dulce disse...

Concordo minha boa amiga.. que bom
Que bom ter-te de volta..levarei este sentir que nos assola e muito particularmente neste tempo que de eterno tem as palavras que em nós ficam e os abraços, esses muito especialmente, por não precisarem de quaisquer palavras..mas tenho esperança ..
beijinho muito grande.

Mel de Carvalho disse...

... "algo(também) me entristece", na verdade, minha querida amiga.

mas

... "algo" me alegra, crê. e esse algo é composto de pequenos nadas, de detalhes preciosos, de trabalhos poéticos como este coração de inverno, que, aos meus olhos, é de uma beleza ímpar.

beijo e a minha admiração e amizade de sempre.

Mel

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

O outro lado do paraíso!
Deixo um beijinho com cheiro a caruma e a musgo, mas sobretudo com Esperança. E somos nós os portadores da Esperança, mesmo quando tudo ao nosso lado soçobra...

Graça disse...

Há 'corações de inverno', sim!

O Natal entristece-me...

Beijo de imenso carinho, minha querida amiga. Se não nos 'virmos' antes... que seja um bom Natal!

Bergilde disse...

Há beleza em cada estação e o branco que caracteriza por esses lados esta é o que a torna ainda mais especial.Só o frio não me apetece como dizem vocês de Portugal.
Lindos versos de quem sente o que escreve!Abraços meus esperando poder prosseguir como leitora de seus registros no próximo ano também.Boas Festas!

AnaMar (pseudónimo) disse...

mesmo entristecido, o poema é belo e faz-nos relectir sobre corações alvos de pureza e os gélidos desumanos.

sérgio figueiredo disse...

Encantador este título, "Corações de Inverno"...!! Mas o poema, o poema dá-me a conhecer esses corações. São as tuas palavras, a tua poesia, o teu coração... Com eles fixo-me na reflexão.

bj...nho