20 de maio de 2013

Na metade de um sol inteiro




E eis que chego aqui
ao que julgava ser
a metade de um sol inteiro
e, no entanto
é o efeito da penumbra
que torna bem mais claro
nos meus olhos
o valor das coisas belas.


5 comentários:

Rogério Pereira disse...

Quando queremos claridades
vêmo-las
mesmo que mal iluminadas

Lídia Borges disse...


Sem se conhecer a sombra como saberíamos do brilho da luz?


Um beijo

Mar Arável disse...

Há sombras com luz

por dentro

Branca disse...

É a mais pura verdade Maria João, precisamos sempre de termos comparativos, de relativizar as coisas, para apreender o essencial da vida.

Beijos

AC disse...

Vislumbres para guardar, para cultivar...

Beijo :)