15 de junho de 2012

Sossego





Na calma deste jardim, há um sossegar de versos
Uma oração em repouso no veludo das pétalas
Só os olhos sem mágoa conseguem rezá-la
Só em paz se aprende a rezar dentro do silêncio.





12 comentários:

Andy disse...

Maria João, recolhi-me por momentos no aconchego das tuas palavras, nesta imagem e música que me eleva...

obrigada, amiga!
beijinho grande

Rogério Pereira disse...

Só um poeta se atreve a tanto...

Mar Arável disse...

São tantos os silêncios

que nos interrogam

Bj

Lídia Borges disse...

Logo à primeira leitura, ressaltam os vocábulos com que se escreve esta tela de tonalidades brandas.
Vejamos: "calma /oração/ repouso sossegar /veludo / paz / silêncio".

Significativa esta incidência,tendo em conta a dimensão (reduzida) do poema.

Um beijo

BRANCAMAR disse...

Querida Maria João,

Tal como a Lídia encantou-me toda a serenidade do poema.

Aqui é tempo de paz e de um silêncio preenchido de tudo.

Tal como Eugénio de Andrade sempre adorei o silêncio das palavras e ele está muito para além dos teus curtos versos, plenos de um intenso sentir.

Beijos
Branca

A.S. disse...

M. João,

Só dentro do silêncio se alcança o imfinito!...


Abraço!
AL

O Profeta disse...

O SILÊNCIO LIGA-ME AO MUNDO
Vem ouvir mil palavras do meu silêncio


Mágico beijo

Hanaé Pais disse...

Sinto a serenidade do silêncio, a suavidade do veludo das pétalas e a paz das rezas.
Envolta numa maravilhosa redoma de bem estar e no calor quente de uma inicial sedução...

Bergilde disse...

Preciso desse silêncio hoje mais que nunca!
Abraços,

Dulce disse...

Minha querida amiga, João..

hoje levei estas palavras para viver um momento de silêncio, pelas petálas de veludo de uma flor..precisei da paz que então senti.

beijinho grande para ti, de obrigada.

dulce

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Belíssimo... porque "só os olhos sem, mágoa conseguem rezá-la".

Um beijo

AC disse...

Maria João,
Fico sempre siderado com a intensidade e delicadeza das suas palavras.

Beijo :)